Modalidades

Regras

Últimos posts

Você conhece o Rugby Subaquático?


http://www.uw-rugby.org/wp/wp-content/uploads/2012/05/DSC_3028.jpg

O nome do Rugby Subaquático já dá uma ideia de como o esporte funciona. É jogado numa piscina de 3,5 a 5 metros de profundidade, sendo que a sua largura e comprimento são semelhantes às piscinas utilizadas no polo aquático.

O jogo tem a duração de 30 minutos, divididos em dois tempos, de 15 minutos cada. No interior da piscina encontram-se 6 jogadores de cada lado, com mais 6 jogadores substitutos. É praticado por equipes mistas (homens e mulheres). Para diferenciar as equipes são utilizadas tocas de cores diferentes por cada uma delas – azuis e brancas. O objetivo deste jogo é colocar a bola no cesto da equipe adversária.

O rugby subaquático é jogado totalmente debaixo de água e a bola não pode atingir a superfície. Ela é preenchida com água salgada para que sua densidade seja maior que a da água da piscina e os atletas não podem subir com ela à superfície quando vão tomar ar.

Uma vez que a bola percorre cerca de 2 a 3 metros antes de ser parada pela resistência oferecida pela água, este desporto exige uma enorme tática e um excelente posicionamento dos jogadores. O jogador pode, também, usar diferentes habilidades e estratégias como a força, velocidade, mobilidade ou o baixo consumo de oxigênio.

E por que o nome rugby? Porque o contato físico é intenso, e a lógica de chegar com a bola ao outro lado da piscina é semelhante.

Fraude cometida há 16 anos em Paralimpíada ainda prejudica atletas


 © 

Uma fraude cometida por atletas da delegação da Espanha durante a Paralimpíada de Sydney, em 2000, fez com que os atletas com deficiência intelectual ficassem de fora das disputas mundiais por 12 anos. A farsa, considerada um dos grandes escândalos do esporte mundial, até hoje prejudica esses atletas, que estarão disputando medalhas na Paralimpíada do Rio de Janeiro, mas com participação reduzida.

Em 2000, durante a Paralimpíada de Sydney, um grupo de pessoas se fez passar por atletas com deficiência mental para integrar a delegação de basquete da Espanha. A seleção ganhou medalha de ouro, mas a história foi revelada meses depois por um jornalista, que integrava o grupo. Em 2013, eles tiveram que devolver as medalhas e os prêmios recebidos.

Após esse episódio, o Comitê Paralímpico Internacional decidiu que não haveria mais provas para deficientes mentais nos campeonatos promovidos pela entidade. Por isso, esses atletas não participaram da Paralimpíada de Atenas, em 2004, de Pequim, em 2008, e tiveram seu retorno liberado nos jogos de Londres, em 2012 . Também não houve competição para deficientes intelectuais nos Jogos Parapan-Americanos realizados no período, inclusive nos do Rio de Janeiro, em 2007.

Neste ano, os atletas com deficiência intelectual vão participar de provas na natação, no atletismo e no tênis de mesa. O Brasil terá três atletas com esse tipo de deficiência disputando medalhas: Daniel Tavares, no atletismo, e Beatriz Borges Carneiro e Felipe Caltran Vila Real, na natação. 

A Paralimpíada será realizada entre os dias 7 e 18 de setembro, no Rio de Janeiro. Ao todo, 4.350 atletas de 160 países vão participar das competições em 22 modalidades. A delegação brasileira será a maior da história dos Jogos Paralímpicos, com 287 atletas. Com informações da Agência Brasil.

Você conhece o Pack de Esportes na Escola?




Recebemos uma oferta excelente do DVDs Sports e vamos repassar para os leitores do blog: 20% de desconto no pack completo de treinamento em esportes na escola.

O pack completo de esportes na escola foi criado com os principais esportes que são ensinados nas escolas de todo o país. Nele, temos DVDs dos seguintes esportes: Futsal, Futebol, Handebol, Voleibol, Natação e Basquete. São seis esportes e vários DVDs que mostram tática, técnica, fundamentos e iniciação desses esportes.


Pelo formato de nossa educação, a iniciação esportiva da criança acontece na escola. Então nada melhor do que o professor conhecer os esportes que são mais praticados!

Falando um pouco mais sobre o kit, são 30 dvds gravados na hora da compra, com muito ensinamento em esportes e o preço deles todos juntos é inacreditável.O frete é por conta deles.

Sobre a OFERTA PARA LEITORES DESSE BLOG:

Se você pagar pela linha digitável abaixo, você tem o desconto de 20% até o final de julho.  O valor do kit, que é R$ 299,00 vai para R$ 239,00.  O desconto é exclusivo para leitores do blog!



PAGUE PELA LINHA DIGITÁVEL: 

 
39994.10875     52693.200686     79551.000023     1     00000000000000
Valor: R$ 239,00.

 Uma vez pago, agilize a entrega. Mande o comprovante e o seu endereço para dvdsports@gmail.com

Se você preferir pagar adquirir por cartão ou outra forma, basta clicar no botão abaixo:



* Os dvds estão em Português, Espanhol e Inglês.
* Tire todas as suas dúvidas pelo email dvdsports@gmail.com


Este post é um artigo patrocinado.

5 dicas para evoluir no Mountain Bike


O Mountain Bike, conhecido no bom português como o ciclismo de
montanha, surgiu na década de 1960 nos Estados Unidos. Este esporte é
dividido em várias modalidades, como: Downhill, 4X, Freeride, Trial,
Trip Trail (Maratona), Uphill e Enduro de Regularidade.

Independente da modalidade que você pratique, segue 5 dicas para
melhorar sua performance:

1 - Devagar na aventura

O Mountain Bike é um esporte dinâmico, ao qual o atleta consegue
pedalar por locais totalmente diferentes e no anseio de desbravar
trilhas novas esta aventura pode se tornar algo perigoso. Muito
cuidado ao percorrer novos caminhos, pois você percorrer trechos de
grande dificuldade técnica e consequentemente causar um acidente. Faça
uma boa leitura no terreno, respeite os seus limites e não vá sozinho
conhecer novos percursos.

2 - Ouça os mais Experientes

Se você esta iniciando nas trilhas capte o maior número de informações
a respeito deste maravilhoso esporte. Atletas mais experientes muitas
vezes passaram por situações que poderão servir de lição para as suas
pedaladas.

3 - Escolha a bicicleta correta

O ciclismo é um esportes bastante democrático, pois permite atletas de
diferentes condições e com equipamentos diferentes se juntarem para um
pedal. Contudo, dependendo da situação a bicicleta pode te deixar na
mão. Se a trilha for de muita dificuldade técnica vai exigir muito do
equipamento, algo que poderá limitar bastante o seu desempenho.

4 - Comece com a primeira pedalada

Algo que parece bastante óbvio, mas que muitos esquecem ao programar o
pedal. Pedalar requer habilidades e necessidades específicas, por isso
não pule etapas. Algumas pessoas desistem do ciclismo simplesmente
porque criaram desafios além da sua capacidade. Respeite a sua atual
condição física e técnica e tenha em mente que algo que hoje esta
distante pode se tornar próximo no decorrer do tempo.

5 - Não esqueça os equipamentos de segurança

Capacete e luvas, por exemplo, devem ser utilizados em todos os
pedais. Se não estiver acostumado, acostume. Se achar feio, ache ao
menos importante. Quem não os utiliza pode não ter a segunda chance.
Segurança é primordial.

Entenda como funciona e quais as regras do Polo Aquatico



O nome polo aquático vem da semelhança com o polo, esporte praticado em terra firme com cavalos, mas a versão aquática, em vez de cavalos era praticada com canoas na Inglaterra do século XIX . E as comparações não param por aí, o esporte, que no início era tido como uma versão do futebol, tanto que era chamado de futebol aquático,  também já foi comparado com o rugby por ser uma modalidade de  muito contato. Na versão moderna, os atletas em vez de se movimentar com canoas, usam as pernas e braços para se movimentar dentro d'água e tentar marcar gols. E é sobre esse esporte que exige muita habilidade dos atletas que iremos falar neste capítulo de "Por dentro da Regra".
O polo aquático foi o primeiro esporte coletivo a entrar no programa olímpico. A estreia foi no ano de 1900 nos Jogos de Paris, porém só na versão masculina. O polo feminino estreou somente um século depois, em Sidney, 2000.
E por falar em estreia, os Jogos do Rio de Janeiro marcará a primeira participação da seleção feminina de polo aquático em Olimpíadas. Os homens participaram sete vezes do torneio. A primeira participação foi nos Jogos da Antuérpia-1920.  O melhor resultado foi o 12º lugar em Los Angeles-1984, última vez que a equipe brazuca disputou os Jogos.
Apesar de não ter tanta tradição no esporte, a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) fez um projeto para tornar possível a conquista da primeira medalha para o Brasil na modalidade.
"No masculino, o treinador é um croata (Ratko Rudic), ele tem seis medalhas olímpicas como treinador e atleta. O objetivo dele é de ganhar uma medalha nos jogos. Ganhar da Croácia, da Itália e Sérvia é difícil, mas não impossível. Os nossos jogadores estão jogando nas principais ligas no mundo e ainda repatriou o Felipe Perrone, um dos melhores do mundo, que é brasileiro e espanhol. O goleiro é sérvio e está sendo naturalizado", disse o treinador Mike Moraes, treinador da seleção amazonense de polo  aquático.
Já no feminino, que tem a seleção norte-americana e australiana como favoritas, ele diz que a vinda do treinador canadense Pat Oaten trouxe evolução ao time Nacional.
Em termos de evolução, a seleção evoluiu bastante. Se fosse ver a seleção há três anos houve uma evolução muito grande. Pode ser que chegue entre as seis ou não, a esperança maior é no masculino até porque tem mais jogadores de renome nacional

Bola aderente
A bola utilizada nas partidas de polo tem uma textura diferente. Ela é áspera e quando molha é aderente. Ela não é como a bola de futebol, que é lisa, ela tem uma aspereza. A bola de Polo Aquático deve ter entre 400 e 450 gramas de peso. O diâmetro deve ficar entre 68 e 71 centímetros. A bola usada no masculino é ligeiramente maior à bola utilizada no feminino. As dimensões da piscina é de 30m x 20m para homens e 25x 20m para as mulheres. Os jogadores não podem segurar a bola com as duas mãos e nem socá-la. Também não podem usar os dois braços na hora de uma defesa próximo à zona dos 5m.

Pernas para que te quero
Apesar do esporte ser na água, os nadadores utilizam muito as pernas. Isso porque além do nado, eles precisam se manter em pé na piscina e adquirir impulsão para pular e arremessar a bola, para isso, na piscina  as pernas se movimentam para garantir isso. O movimento é parecido com o de uma pedalada e garante a posição em pé e a impulsão. Quanto mais rápido é feito o movimento, mais altura o atleta ganha. De acordo com o técnico Mike Moraes alguns atletas conseguem ficar com meio corpo para fora da água com o movimento. E por falar em membros inferiores, os atletas são proibidos de tocar com os pés no fundo da piscina, que tem no mínimo 2m de profundidade, mas o treinador garante que em competições internacionais a profundidade já é maior devido à altura de alguns atletas, sobretudo, sérvios e croatas.

Faltas
Existem as faltas simples, graves e gravíssimas e faltas de pênalti. As faltas simples consistem em segurar a bola com as duas mãos ao mesmo tempo, manter a bola sob a água, impulsionar-se no fundo da piscina, empurrar o adversário. Faltas graves são nadar sobre as pernas de um jogador de outra equipe, puxar as pernas de um adversário que está nadando, impedir com os braços a natação de um adversário, jogar água no rosto do adversário, impedir que um adversário cobre uma falta. A punição é exclusão de 20 segundos. O jogador que cometer três faltas graves em um único jogo não terá o direito de retornar à partida. A falta de pênalti é quando uma falta grave é cometida para impedir um gol provável. Cometer três pênaltis é como cometer três faltas graves. As faltas gravíssimas são configuradas como agressão, desacato extremo aos árbitros e antidesportivismo.

Uniforme
Os atletas devem utilizar as toucas com proteções nas orelhas, que têm na frente o nome da equipe - ou da seleção - que representam. Nas laterais ficam os números dos atletas, que vai do 1 ao 13 e na parte de trás o patrocínio. Os homens utilizam sungas, um pouco menores que o usual para diminuir a chance de puxões na roupa - que é frequente durante a partida. As mulheres usam maiôs. Quanto à cor, as toucas devem ter um contraste entre uma equipe e outra, cores claras e escuras são os mais usuais (geralmente brancas para um time e azuis para o outro). Os goleiros usam toucas vermelhas.
Goleiro
Os goleiros são os únicos jogadores que podem socar a bola, pegar com as duas mãos e colocar os pés no chão, desde que não estejam em posse de bola. Eles guardam um gol que tem as dimensões de 7,5cm de largura. As faces internas do poste deverão se distanciar em 3m (serão 3m de largura para a bola passar, fora a largura das traves em si). A face interna do poste transversal (travessão) deverá estar a 90cm da superfície da água. Na piscina existem as seguintes marcações: Vermelha: colocada a 2m da linha do gol. Dentro desse espaço os jogadores não podem receber passes ou permanecer dentro da área por muito tempo. Os cantos são cobrados da linha dos 2m. Amarela: colocada a 5m da linha do gol. Dentro desse espaço, as faltas (simples ou graves) não podem ser cobradas diretamente à baliza.

Provas da Ginástica Artística Feminina


https://p2.trrsf.com/image/fget/cf/460/0/images.terra.com/2016/04/17/selecaobrasileiraginasticaolimpicaeventotesterio17042016divulgacaocbg.jpeg

As mulheres disputam provas em quatro aparelhos diferentes. Os aparelhos femininos são o solo, o salto de cavalo, a trave olímpica e as paralelas assimétricas. Nestes aparelhos, durante as apresentações femininas,as ginastas procuram demonstrar a sua força, domínio, flexibilidade e graciosidade.

Barras assimétricas

http://imguol.com/2012/07/31/romena-larisa-andreea-iordache-faz-um-movimento-de-largada-durante-sua-apresentacao-nas-barras-assimetricas-durante-a-final-feminina-por-equipes-da-ginastica-artistica-1343754583816_956x600.jpg

    Este aparelho, é atualmente fabricado com fibras sintéticas e, por vezes, material aderente. O seu posicionamento é, a mais alta a 2,36 m de altura e a mais baixa a 1,57 m. A prova é composta por uma série de movimentos obrigatórios, tal como os restantes aparelhos. A posição das duas barras em diferentes alturas possibilita à ginasta um leque variado de movimentos, mudanças de pegas e alternância entre as barras. A execução de alguns movimentos também é facilitada através da propriedade de flexibilidade do aparelho.
Trave olímpica

http://i0.statig.com.br/bancodeimagens/dd/o2/4u/ddo24ugoruyyqds5aacco1o5x.jpg

    A trave é um dos dois aparelhos de execução unicamente feminina. A trave em si é uma barra revestida com material aderente, situada a 1,25 metros do chão, com cinco metros de comprimento e dez centímetros de largura, onde a atleta deve equilibrar-se e realizar saltos gímnicos, elementos acrobáticos e pivots.

                                                                 
Solo

http://3.bp.blogspot.com/-UnqnWc_FWHM/T04rHqMWzoI/AAAAAAAAA00/ItcY2ffkzgc/s1600/solo+feminino.jpg

    O solo, enquanto aparelho, é um estrado de 12x12m feito de um material elástico que amortece eventuais quedas e ajuda ao impulso dos saltos acrobáticos e gímnicos. Como modalidade, os exercícios têm uma duração de 70 a 90 segundos para as mulheres. Durante a prova, são realizados movimentos acrobáticos e gímnicos anteriormente pontuados (nota de partida). Os exercícios femininos têm a particularidade de incluir acompanhamento musical instrumental.

Salto

http://www.cbginastica.com.br/sgc/imagem/noticia/72/ori_70bed78f733f5d7756d3f2616758b181.jpg

    O salto de cavalo é a prova mais rápida da ginástica artística. Dura aproximadamente 50 segundos, incluindo apenas o momento dos dois saltos aos quais o ginasta tem direito. A prova é composta por uma pista de corrida de 25 metros, que termina num trampolim de impulso e finalmente na mesa de saltos – de dimensões 120 x 95 cm. O salto é considerado um evento de explosão muscular, possuidor de uma margem mínima para erros.

Em 1896, a ginástica passou a integrar o quadro de provas do primeiro Jogos Olímpicos de Atenas. É importante dizer que nessa época apenas os homens participavam dessa categoria, constituída por seis provas individuais: argolas, barra horizontal, barras paralelas, cavalo com alças, salto sobre o cavalo e subida a corda. Foi apenas em 1928 que as mulheres passaram a competir na ginástica, por equipes, em provas olímpicas. A inserção das provas individuais só aconteceu em 1931.