Saiba Mais

Regras

Últimos posts

A profissão de Educação Física


 

O professor de Educação Física não precisa obrigatoriamente ser um atleta em todos as modalidades esportivas, mas é preciso conhecer a fundo as habilidades motoras de sua prática de ensino e principalmente os limites dos seus alunos.

Veja coleção completa de Cds de Conteúdo para professores de Educação Física

Saber ensinar e gostar de interagir com pessoas são aspectos fundamentais, já que além da questão física, outros fatores como psicológico e sociocultural estão inseridos na profissão. Uma boa didática de ensino é importante para qualquer docente.

A principal função deste profissional é orientar, planejar e acompanhar a prática de exercícios físicos de um indivíduo ou grupo, que pode ser desde recém-nascidos acompanhados dos responsáveis a terceira idade. São atletas profissionais a pacientes em recuperação motora, o objetivo vai depender do aluno.

Vale lembrar que o Profissional de Educação Física não pode interferir em outras áreas como, prescrever uma dieta alimentar ou tratar uma lesão, isso cabe aos respectivos especialistas nutricionista e fisioterapeuta, o que não impede que trabalhem em conjunto.

Perfil do profissional formado em Educação Física

A essência do trabalho de um profissional formado em Educação Física está no contato com outras pessoas. Para ser um bom profissional nesta área é fundamental ter paciência e inteligência emocional.

Boa comunicação também é uma característica importante para que o profissional consiga explicar com clareza e objetividade como os exercícios devem ser realizados, qual força utilizar e como respirar durante a prática das atividades.

Entender como funciona nosso corpo (como os músculos reagem com diferentes estímulos e em diferentes idades, etc.) ajuda este profissional a elaborar planos de exercícios físicos respeitando os limites de cada pessoa.

O Confef (Conselho Federal de Educação Física), órgão que regulamenta a profissão, foi criado em 08 de novembro 1998 com 18 conselheiros. Atualmente possui os Cref(s) que são unidades regionais. Qualquer profissional formado que deseja atuar na área deverá portar o registro da instituição e renová-lo uma vez por ano.


Função defensiva e ofensiva do goleiro no Handebol



http://guiataubate.com.br/fotos/noticias/i2_20160512163850.jpg

A posição de goleiro é a de maior especificidade do handebol, considerada como a última barreira defensiva. Portanto, suas defesas são de fundamental importância para sua equipe. Além da função defensiva, a goleira também é considerada a primeira atacante por proporcionar a orientação tática da equipe por ter uma visão ampla do jogo

100 atividades para ensinar Handebol

Na sua dinâmica no jogo, o goleiro que se mantendo em uma área de 6 metros, onde só o mesmo pode ter acesso, o seu deslocamento é livre podendo andar o quanto quiser com as bolas em mãos e também é permitido que ele toque na bola da maneira que quiser e com qualquer parte do corpo em uma tentativa de defesa. Quando houver necessidade o goleiro pode se tornar jogador de linha, saindo de sua área sem a bola, ele passa a ter as mesmas regras dos outros jogadores. Na sua volta para o interior da área o mesmo não pode estar com a posse da bola.

 O goleiro  no handebol tem sua importância tanto no ataque quanto na defesa. Na defesa ele é considerado como a última barreira defensiva, sendo ela na maioria das vezes a fazer o último lance de defesa. Já relacionado ao ataque consideramos a goleira a primeira atacante, pois quando temos a saída de ataque sendo feita de sua área é ela quem faz esse passe ou então quando ocorrem infrações ou até laterais próximas a sua área é ela também quem realiza.

É importante para o treinador prestar atenção no treinamento de goleiros em equipes amadoras, porque a maioria dos treinadores de handebol não foram goleiros, portanto a dedicação ao estudo para o seu treinamento específico é uma das tarefas mais importantes de um bom treinador.

Não deixe de conhecer o guia com 100 atividades para ensinar Handebol

Iniciação adequada ao Esporte



https://kdae.com.br/wp-content/uploads/2016/06/Inicia%C3%A7%C3%A3o-Esportiva.png

Você já se fez essa pergunta: qual é a melhor forma para que as crianças tenham sua iniciação adequada ao esporte?

Muitos pais querem que seus filhos tenham uma vida ativa e saudável ou que se tornem grandes atletas no futuro, e as crianças estão se identificando cada vez mais com os atletas que se destacam em suas modalidades esportivas. Por isso os pais levam cada vez mais cedo as crianças para escolinhas e clubes para participarem de atividades esportivas. Porém para que não se tenha frustrações com o desempenho e a saúde desses pequenos atletas, é necessário direcionar as atividades de acordo com o desenvolvimento apresentado pela criança. Por isso é importante que se esclareça os métodos mais corretos e efetivos no que diz respeito ao treinamento desportivo de jovens e crianças.

Para que a criança adquira, de forma saudável, novas habilidades é necessária uma liberdade para a realização e exploração espontânea das ações, os pais devem abrir mão do controle excessivo e deixar as crianças fazerem suas descobertas, o que auxilia no desenvolvimento motor das mesmas. O professor precisa estimular, pelo menos, os esportes básicos dados nas aulas de educação física. Uma vez experimentado isso, é mais seguro definir se a criança seguirá em algum esporte de forma mais "séria".

Veja aqui 30 aulas de esportes na escola que facilitarão a vida do professor na escola

A iniciação ao esporte deve ser realizada por um profissional da área, que poderá observar e atender as particularidades de cada criança, formando assim uma sólida base para que a mesma continue no caminho do esporte e consiga desenvolver e explorar seu potencial ao máximo.

Alguns treinadores cometem um erro terrível quando buscam nas crianças resultados rápidos, submetendo-as a treinamentos rigorosos, muito repetitivos e específicos, se preocupando apenas em desenvolver habilidades para um determinado esporte. Isso pode trazer consequências negativas para a vida da criança, como por exemplo, o desenvolvimento limitado das aptidões motoras, lesões adquiridas pela grande intensidade dos treinos, a desmotivação e o abandono do esporte e desgaste psicológico por conta do excesso de pressão aplicada a elas.

É importante que os programas de treinamento esportivo sigam respeitando os estágios do desenvolvimento dos atletas, desde a iniciação até o alto rendimento para não prejudicar o desenvolvimento do jovem atleta.

Benefícios do Esporte para portadores de deficiência




É inquestionável o valor do exercício físico e/ou esportivo para todas as pessoas;
Ao trabalhar com a pessoa com deficiência, é indispensável que ocorra uma intervenção visando o oferecimento de uma Educação Física que os conscientize de suas dificuldades ocasionadas pelas deficiências, mas que os faça desvelar as possibilidades e motivá-los na busca de melhorias para a adoção de procedimento que lhes proporcione uma melhor qualidade de vida, facilitando suas atividades cotidianas.

A prática de esportes pelos portadores de deficiência proporcionará e poderá:
  • Estimular a independência e autonomia;
  • Melhorar a socialização com outros grupos;
  • Melhorar a auto-valorização, a auto-estima e a auto-imagem;
  • A melhoria das funções organo-funcionais (aparelho circulatório, respiratório, digestivo, reprodutor e excretor);
  • Melhoria na força e resistência muscular global;
  • Melhora no equilíbrio estático e dinâmico;
  • Manutenção e promoção da saúde;
  • Desenvolvimento de habilidades motoras e funcionais para melhor realização das atividades de vida diária;
  • Aprimoramento da coordenação motora global;
  • Superação de situações de frustração;
  • Experiência com suas possibilidades, potencialidades e limitações.
É ótimo ser campeão mundial, de futebol, de vôlei enfim dos vários esportes. Mas, sem qualquer sombra de dúvida, o maior feito ou campeonato mundial é aquele que envolve dignidade através da educação, do conhecimento, da inovação e da plena cidadania. Ao oportunizar a prática esportiva para os alunos com deficiência, os professores de Educação Física estarão rompendo e substituindo muitos paradigmas: da incapacidade pela capacidade, da baixa estima pela auto-estima, da exclusão pela inclusão.

A Educação Física faz parte de um processo de educação do ser humano, e, se bem trabalhada e administrada, poderá surtir efeitos benéficos para os praticantes, bem como para a sociedade.
Nossa missão é preparar e formar campeões para a vida. A educação física deve ser acessível a todo ser humano", independente de raça, credo, capacidade, deficiência e demais diferenças pessoais.

Realmente, a área de Educação Física para alunos especiais está em franco crescimento. E é preciso se especializar, saber características de implantação, como formular aulas e ter atividades que despertem interesse do aluno e desenvolva seu potencial.

Então, vou te indicar dois e-books:

1 - Atividades Físicas de Alunos Especiais: Com este e-book deseja-se oferecer subsídios para as tomadas de decisões no que se refere à política do trabalho de inclusão junto às escolas, indicar mecanismos de preparação de professores de Educação Física que atuam na área, quanto à melhoria da prática escolar, e oferecer indicadores para as propostas curriculares nos planos das instituições e a dinâmica dos professores em seu processo ensino/aprendizagem principalmente na Educação Física Escolar.



2 - Aulas de Educação Física para Alunos Especiais - Foi elaborado para orientar e colaborar com professores e acadêmicos de Educação Física no processo de inclusão dos alunos especiais nas Aulas do Ensino Regular e, também nas Instituições Especializadas, o Ebook contém além da história da inclusão, muitas atividades físicas e esportes para alunos especiais.



Com certeza, com esses dois e-books, o enriquecimento no conteúdo específico vai ser enorme. Boa sorte!

3 métodos de ensino no Futsal



O futsal oferece grandes e ricas manifestações de expressão do movimento, e o sujeito que o pratica, como o próprio educador, pode, constantemente, encontrar descobertas sugestivas para o desenvolvimento psicoafetivo e sociomotor.

Apesar da modalidade de Futsal ser um esporte coletivo, temos que enfatizar a característica individual. O ensino do futsal deve partir do mais fácil para mais complexos.

Veja 100 atividades para ensino do Futsal

Dentro da metodologia de ensino do Futsal, podemos visualizar três métodos básicos de Treinamento: o método parcial, o método global e o método misto.

O método parcial: consiste no ensino do jogo do Futsal por partes, através do desenvolvimento dos fundamentos, habilidades motoras que compõem o jogo por etapas, para ao final da aprendizagem, agrupá-los no todo, ou seja, num único conjunto, que será o próprio jogo de Futsal.

O método global: consiste em desenvolver e proporcionar a aprendizagem do jogo através do próprio jogo. Ensinar alguma habilidade motora apresentando – a desde o inicio, e utilizando-a como forma de aprendizagem. Através deste método, permite a vivência com as mais variadas formas de jogar futsal desde o primeiro contato com o esporte por parte do aprendiz.

O método misto: possibilita a prática de exercícios isolados, bem como a iniciação ao jogo através das formas jogadas de futsal. Que são à base do método global, ou aplica mais a execução isolada dos fundamentos, através de exercícios, que formam o método parcial.

É importante que o professor de Futsal oportunize aos alunos a apreensão prévia de informações e conhecimentos que possibilitem uma noção geral sobre a modalidade, com exercícios que apresentam uma divisão dos gestos técnicos, das técnicas, da ação motora em seus mínimos componentes. À medida que o aluno passa a dominar melhor cada exercício, estes movimentos já dominados passam a ser integrados em um contexto maior, que logo permitirão o domínio dos componentes básicos da técnica inerente ao jogo esportivo, realizando-se, desta forma, o processo de ensino-aprendizagem-treinamento do esporte.

Boa sorte!

3 provas básicas do Atletismo




O atletismo não se limita somente à resistência física, mas integra essa resistência à habilidade física, ele dividido em três tipos de provas, onde são disputadas individualmente que são as corridas, os saltos e os lançamentos, podemos verificar ainda que as provas de atletismo são atividades naturais do homem: o andar, o correr, o saltar e o arremessar, por esta razão, é considerado o atletismo o "esporte base".

O atletismo é uma atividade que o corpo desenvolve sem grandes instrumentos, podendo na maioria das provas usar somente, o próprio corpo.Para o profissional que trabalha com o Atletismo na Escola, ter o máximo de atividades é importante para a aula ter um melhor desenvolvimento.

As provas que compõe o Atletismo podem ser classificadas em:

- Corridas: de curta distância e longa distância, além de provas de revezamento e com obstáculos e da marcha atlética;

- Saltos: de altura, em distância e triplo;

- Lançamentos e Arremessos: podem ser de dardo, disco, martelo e de peso. Consiste em lançar o objeto o mais longe possível do ponto inicial.

As formas tradicionalmente conhecidas do Atletismo, como correr, saltar e arremessar (lançar), devem servir de base para as transformações didático-pedagógicas. No entanto, suas formas devem abranger múltiplos e vários campos de experiências e aprendizagens para os alunos e não apenas serem canalizadas para os modelos padronizados de realização dessas atividades.