Dermatologia no esporte




Esportes desgatam a pele

Todos sabemos como os atletas se preparam durante anos para atingir um determinado objetivo. Mas não podemos esquecer que isso pode trazer vários problemas de pele, além de outros inerentes à prática desportiva.

As doenças dermatológicas relacionadas à prática de esportes não afetam apenas atletas profissionais, mas também os atletas ocasionais. Essas doenças podem, no final, afetar a performace esportiva.

Que alterações são essas?

Infecções: são preocupações sérias, geralmente causadas por bactérias e vírus, transmitidas pelo contágio direto com a pele infectada de outro atleta, ou equipamento contaminado.

Os atletas são mais propensos a apresentarem algumas infecções.

A transpiração deixa a pele mais macia e diminui a resistência de barreira cutânea, formada pela camada córnea (que é a camada mais externa da pele).

Alguns equipamentos podem manter a pele abafada, criando em ambiente úmido e quente, o que facilita a proliferação de microorganismos.

Junte-se a isso o fato de que os atletas geralmente apresentam pequenos ferimentos na pele, que proporciona a penetração de bactérias.

Bactérias conhecidas como Gram Positivas, podem causar Foliculite e Impetigo. O Impetigo apresenta-se como pequenas feridas de crostas amareladas. São bastante contagiosas e podem ser transmitidas no corpo-a-corpo esportivo.

A Foliculite é um outro tipo de infecção, que exibe lesões semelhantes à espinhas, que podem atingir qualquer região do corpo. Existem relatos de foliculite transmitida através de banheira de hidromassagem, utilizada para a reabilitação de atletas.

As lesões aparecem cerca de 2 a 3 dias após o contágio. São bolinhas na pele, de cor vermelha ou esverdeada.

Infecções causadas por fungos, são muito comuns entre os atletas. Os fungos são os causadores das micoses, que se apresentam como lesões descamativas, que podem aparecer no couro cabeludo, pescoço, axilas, virilhas e pés. Geralmente o indivíduo queixa-se de coceira de maior ou menor intensidade.

Medicamentos chamados anti-fúngicos eliminam o problema, mas o contágio direto é um risco.

O contato direto com a pele pode, também, transmitir o vírus do Herpes Simples. Esse vírus desencadeia o aparecimento de pequenas bolhas, dolorosas, geralmente ao redor dos lábios, mas podem aparecer em qualquer região do corpo. O contágio pode ocorrer desde o início das manifestações, até 4 a 7 dias mesmo após o início do tratamento.

Recomenda-se que no caso de qualquer infecção cutânea, o atleta seja mantido afastado de treinos coletivos.

Bolhas e escoriações : com a fricção resultante da prática de esportes, ou uso de equipamentos, vários atletas apresentam bolhas na pele. Calçados inadequado facilitam o aparecimento de bolhas nos pés, que afetam o rendimento do esportista. Lubrificantes de pele, calçados e meias apropriados reduzem o risco de bolhas.

O atrito da roupa com as axilas, durante corridas longas, pode traumatizar as axilas ou outras áreas do tronco ou quadril. A prevenção pode ser feita com vaselina aplicada na região, e uso de roupas macias e leves. O uso de curativos adesivos também ajuda a reduzir o atrito.

Escoriações também podem ser o resultado do atrito com equipamento desportivo, como máscara submarinas, touca de natação, luvas, óculos, etc.

Não podemos esquecer que os equipamentos podem desencadear quadros de alergia também. Nesse caso devemos substituir o tipo de material que vai estar em contato com a pele.

Acne Mecânica: é o resultado de fricção, oclusão, pressão e calor na local.

Aparece em áreas mais protegidas e abafadas, como os ombros em praticantes de hockey, ou joelheiras e caneleiras. Para amenizar o problema utilizamos produtos que descamem suavemente a pele, à base de ácido salicílico ou uréia .

Queimadura Solar : risco constante para quem pratica esportes ao ar livre. A longo prazo, intensifica o envelhecimento e aumenta o risco de câncer de pele.

Deve-se utilizar protetor solar 15 ou mais alto de rotina, além de roupa sempre que possível.

Os cuidados básicos de higiene pessoal, e o uso de equipamentos adequados e limpos, reduzem significativamente o risco de que esses problemas apareçam. A prática de esportes deve levar ao bem estar, mas o risco de doenças dermatológicas não pode ser esquecidas

Nota: nas próximas duas semanas, não estarei publicando a coluna aos domingos, pois vou estar participando do 20 Congresso Mundial de Dermatologia, em Paris - França. É um evento da mior importância, que acontece de 4 em 4 anos e reúne cerca de 15.000 dermatologistas do mundo todo. Até a volta!

Dr. Marcos Bonassi é dermatologista, com título de especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia. Telefones (0xx11) 3088.0866/3088.0668 e (0xx12) 3922.6062. e-mail marcosbonassi(arroba)uol.com.br



Comente: