O perigo da especialização esportiva precoce





Quando pensamos em esporte para crianças, com certeza vem a cabeça a aula de educação física na escola. Aquela "grande bagunça" pode trazer benefícios incalculáveis para a formação não só física como moral da criança.

Quando a aula de educação física ou um própria atividade física passa para o campo do esporte infantil, onde a atuação do professor é essencial para uma boa experiência, ela deve se sentir altamente recompensada e precisa se sentir útil. Sentindo assim, foi dado o ponto de partida para que haja continuidade e dedicação, fundamentais para o inicio da vida esportiva.

E essa vida esportiva não pode ser pautada como se crianças fossem adultos. A rigidez de regras ou de movimentos que atendem a um determinado esporte, acelerando a especialização esportiva assim reclamações ao juiz, manifestações violentas e criticas acirradas não são beneficas a formação infantil.

O medo de errar, a pressão exagerada de pais, falhar na execução de gestos técnicos que muitas vezes o desenvolvimento não permite um movimento perfeito, pode aumentar a agressividade, a violência e acentuar o sentimento de fracasso e medo da criança. É inaceitável o esporte entrar na vida de uma criança apenas como referenciais de competição e rendimento, fazendo-a persegui-los a qualquer preço.

É importante que o professor que for responsável por essa esportivação da criança saiba os beneficios e malefícios que essa especialização precoce pode causar. O objetivo é descobrir talentos naturais para prática de esportes e não tranforma-los em mini adultos.

Já está comprovado por algumas literaturas que iniciar uma carreira desportiva cedo encurta a carreira de um atleta e não prolonga.

Acredito que fazer a criança passar por diferentes experiências motoras é mais importante do que treinar o movimento do toque no voleibol. Ou você acha que depois de 10 anos fazendo o mesmo movimento não há um desgaste natural de estruturas corporais?

Essa experiência deve acontecer até mais ou menos aos 13,14 anos quando amadurecida ela escolhe qual o esporte a seguir e aí começara a fazer movimentos mais específicos e complicados.



Comente: