Regras dos estilos de Natação




  

NADO PEITO

 

Braçada

No início da primeira braçada após a saída e em cada volta, o nadador deve estar sobre o peito. O bom senso deve ser usado antes de desclassificar um nadador de peito. Ocasionalmente, o nadador pode ter um braço ligeiramente mais alto que o outro, mas se os movimentos dos braços são simultâneos e no mesmo plano horizontal, o estilo está correto. A chave para observar os braços é estar certo que se movimentam simultaneamente. A maioria das infrações ocorre com nadadores jovens, que ainda não tem uma boa coordenação.

As mãos devem ser lançadas juntas para á frente a partir do peito, abaixo ou sobre a água. Os cotovelos devem estar abaixo d'água exceto para a ultima braçada antes da volta, durante a volta e na braçada final da chegada. As mãos devem ser trazidas para trás na superfície ou abaixo da superfície da água. As mãos não podem ser trazidas para trás além da linha dos quadris, exceto durante a primeira braçada após a saída e em cada volta.

Durante cada ciclo completo de uma braçada e uma pernada, nesta ordem, parte da cabeça do nadador deve quebrar a superfície da água, exceto após a saída e após cada virada, quando o nadador poderá dar uma braçada completa até as pernas e uma pernada enquanto completamente submerso. A cabeça tem que quebrar a superfície da água antes que as mãos virem para dentro na parte mais larga da segunda braçada.

 

Pernada

Todos os movimentos das pernas devem ser simultâneos e no mesmo plano horizontal, sem movimentos alternados. Os pés devem estar viradoS para fora durante a parte propulsiva da pernada. Não São permitidos movimentos em forma de tesoura, pernada vertical alternada ou de golfinho. É permitido quebrar a superfície da água com oS pés, exceto seguido de uma pernada de golfinho.

 

Virada e Chegada

Em cada virada e na chegada da prova o toque deve ser efetuado com as duas mãos simultaneamente, acima, abaixo ou no nível da água. A cabeça pode submergir após a ultima braçada anterior ao toque, contanto que quebre a superfície d'água em qualquer ponto durante o ultimo completo ou incompleto ciclo anterior ao toque.

 

Principais Ocorrências (desclassificações)

Ø     Pernada vertical de golfinho após a saída (filipina) ou virada;

Ø     Pernada vertical de golfinho no percurso do nado peito (especificar a metragem);

Ø     Toque alternado das mãos na borda, durante a virada/chegada (especificar a metragem se for na virada);

Ø     Executar pernada alternada/forma de tesoura no percurso ou após as viradas;

Ø     Perda do contato dos pés com o bloco antes do sinal de partida.

 

 

NADO BORBOLETA

 

Após a saída e na volta, ao nadador é permitido uma ou mais pernadas e uma braçada sob a água que deve traze-Io à superfície. É permitido ao nadador estar completamente submerso até uma distância não maior do que 15 metros após a partida e após cada volta. A braçada deve ser simultânea e os braços devem mover-se para frente por cima d'água. O corpo deve estar sobre o peito a partir do início da primeira braçada após a saída e após cada volta. Os braços se movendo para a frente em baixo d'água é chamado de "recuperação submersa" e não é permitida. Isto acontece quando o nadador julga mal a distância até a parede.

Todo o movimento para cima e para baixo das pernas deve ser simultâneo. A posição das pernas ou dos pés não precisa ser no mesmo nível, mas não podem alternar em relação ao outro. A pernada de peito não é permitida .

 

Volta e Chegada

Ambas as mãos devem tocar a parede simultaneamente, acima, abaixo ou no nível da superfície d'água, com o corpo sobre o peito.

 

Principais Ocorrências (desclassificações)

Ø     Pernada alternada após a saída, virada (especificar qual) ou no percurso (metragem);

Ø     Toque alternado das mãos na borda durante a virada ou chegada do nado (especificar);

Ø     Ultrapassar os 15 metros, estando o nadador submerso após a saída ou volta;

Ø     Realizar movimentos alternados de braços/pernas no percurso;

Perda do contato dos pés com o bloco antes da partida.

 

 

 

NADO COSTAS

 

O nadador sai no nado de costas dentro d'água, olhando para a parede de partida e deve permanecer sobre as costas, exceto quando executa a volta.

A. "Exceto quando executa a volta" quer dizer qualquer variação sobre a posição normal de costas de forma a executar uma ação contínua de voltà.

B. A posição normal de costas inclui um movimento rotacional do corpo até, mas não ultrapassando os 90 graus da horizontal. A posição da cabeça não é relevante.

C. Durante a volta, os ombros podem girar além da vertical para o peito, após o que uma contínua braçada ou uma contínua e simultânea dupla braçada podem ser usadas para iniciar a volta. Quando o corpo tiver deixado a posição de costas, qualquer pernada ou braçada tem que fazer parte da ação contínua da volta. O nadador tem que retornar a posição de costas após deixar a parede. Quando executar a volta, tem que haver o toque na parede com alguma parte do corpo do nadador.

Alguma parte do nadador tem que quebrar a superfície da água durante o percurso. É permitido ao nadador estar completamente submerso durante a volta, na chegada e por uma distância não maior que 15 metros após a saída e em cada volta. Neste ponto, a cabeça tem que quebrar a superfície d'água. A única obrigação no nado é que o nadador permaneça na posição de costas. Um nadador iniciante pode ocasionalmente usar uma braçada dupla, que é legal. O nadador que pára e fica de pé, não está na posição de costas.

A melhor posição para julgar a virada no nado de costas é diretamente por cima do nadador.

 

Chegada

Quando ao final da prova, o nadador tem que tocar a parede na posição de costas. O corpo pode não estar submerso no toque.

 

Principais Ocorrências (desclassificações)

Ø     Perda do contato das mãos com o bloco, seguido de um impulso do corpo para trás antes do sinal de partida;

Ø     Entrar na piscina, antes do apito/sinal do árbitro geral;

Ø     Ultrapassar o limite máximo de 15m, estando o nadador submerso após a saída ou a volta;

Ø     Quebrar ação contínua da volta (realizar pernadas alternadas durante o deslize na virada);

Ø     Na chegada do nado costas, tocar com a mão na borda com o corpo sobre o peito (decúbito ventral - de frente) ultrapassando um ângulo de 90º graus;

Ø     Trocar de raia após a saída ou virada.

 

 

NADO LIVRE

 

Qualquer nado ou combinação de braçadas pode ser usado no nado livre. Durante o nado livre, nenhum tipo de regra pode ser aplicado. A exceção é nos revezamentos medley ou medley individual, quando o nado livre é definido como qualquer estilo que não seja o nado de costas, borboleta ou peito.

 

Saída e Volta

A saída no nado livre é feita com um mergulho. Na prova de nado livre o toque com as mãos não é necessário nas voltas. Qualquer parte do nadador pode tocar a parede ou a placa.

Alguma parte do nadador deve quebrar a superfície da água durante a prova, exceto quando é permitido ao nadador estar completamente submerso durante a volta e por uma distância não mais que 15 metros após a saída e em cada volta. Neste ponto, a cabeça deve quebrar a superfície d'água.

 

Chegada

Na chegada, qualquer parte do nadador pode tocar a parede ou a placa ao final da prova.

Se o nadador parar durante a prova de nado livre e ficar em pé no fundo, não é motivo de desclassificação, mas se deixar a piscina, caminhar, puxar a raia ou tomar impulso no fundo, será desclassificado.

 

Principais Ocorrências (desclassificações)

Ø     Não tocar com nenhuma parte do corpo na borda, durante a virada

Ø     Caminhar na piscina (tomar impulso)

Ø     Desistência (não completar o percurso)

Ø     Ultrapassar o limite máximo de 15m, estando o nadador submerso após a saída ou a volta;

Ø     Perder o contato dos pés com o bloco antes do sinal de partida;

Ø     Puxar a raia ou não completar a prova na mesma raia onde começou.

 

 

 

MEDLEY INDIVIDUAL

O nadador deve nadar a prova de medley individual na seguinte ordem: borboleta, costas, peito e livre.

Cada nado deve estar em conformidade com as regras para o estilo. As passagens de um estilo para outro são consideradas, e devem estar em conformidade com as regras aplicadas as chegadas.

Os nados mudam como segue:

Borboleta para costas - quando o toque correto tiver sido efetuado, o nadador pode virar da maneira que desejar. O nadador deve retornar a posição quando os ombros passarem da vertical para as costas antes dos pés deixarem a parede.

Costas para Peito - quando da chegada de costas o nadador tem que tocar a parede enquanto de costas. Quando o toque correto tiver sido efetuado, o nadador pode virar da maneira que desejar. Os ombros devem passar da vertical para o peito, quando os pés deixarem a parede. O nado prescrito deve ser iniciado antes da primeira braçada.

Peito para Livre - quando o toque correto tiver sido efetuado, o nadador pode virar da maneira que desejar. A etapa de nado livre não pode ser nadada de costas, borboleta ou peito.

 

 

REVEZAMENTO

Há dois tipos de revezamento: livre e medley. No revezamento livre, há 4 nadadores na equipe, cada um nadando sua parte, usando o estilo que desejar usar. A regra do nado livre deve ser aplicada na chegada. Cada etapa do revezamento deve ser nadada na ordem e um nadador não pode nadar mais de uma etapa do revezamento.

No revezamento medley, 4 nadadores participam da equipe, cada um nadando um estilo de nado. Os nados devem ocorrer na seguinte ordem: costas, peito, borboleta e livre. As regras pertinentes a cada estilo devem ser aplicadas. Ao final de cada etapa, as regras de cada nado devem ser aplicadas. os nadadores devem nadar na ordem descrita no cartão de nado.

 

Principais Ocorrências (desclassificações)

Ø     Perda do contato dos pés com o bloco de partida antes do nadador anterior tocar na parede (especificar se é o 2º, 3º ou 4º atleta);

Ø     Nas provas de medley, não terminar a prova ou realizar as viradas dos nados dentro da regra aplicada aos mesmos;

Ø     Atleta que já nadou entrar novamente na piscina, durante o decorrer da prova ou no final da mesma;

Ø     Mudar a ordem dos atletas da equipe, sem comunicação prévia ao árbitro geral pelo técnico da equipe.

 

 

PROTESTOS

Os protestos devem ser apresentados:

Ø     ao árbitro geral

Ø     por escrito

Ø     somente por um chefe responsável pela equipe

Ø     com pagamento de uma taxa

Ø     dentro de 30 minutos após o término da prova

Todos os protestos serão julgados pelo árbitro geral, se a decisão for mantida ele deverá justificar as razões para sua decisão.

A decisão do árbitro geral pode ser contestada no Comitê Técnico da Competição, que julgará novamente o protesto.

 

PUBLICIDADE

Nenhum competidor encontra-se permitido de usar qualquer tipo de publicidade que exceda 16cm2 de área cada uma.

Não é permitida nenhuma forma de publicidade posta direta ao corpo de qualquer maneira que seja.

Proibida publicidade sobre tabaco e álcool.

 

 

VESTIMENTA

De acordo com a moral e apropriada ao esporte praticado.

Proibido o uso de sunquines, exceto se a parte inferior estiver acima da linha do umbigo.

Sungas masculinas deverão ter no mínimo 3 dedos de largura lateral.

Os trajes não poderão serem transparentes, ou seja o branco ou qualquer outra cor mais clara é proibida, sob pena do árbitro geral da competição excluir o nadador da prova ou mandá-lo trocar imediatamente a mesma de acordo com esta regra.

 

PROIBIÇÃO DE FUMAR

 

É expressamente proibido fumar em qualquer área da competição designada para os competidores, seja antes ou durante as provas. Esta regra aplica-se tanto em competições internacionais, nacionais e regionais.

 

 



Comente: