Packers campeão do Super Bowl XLV





Os 'cabeças-de-queijo' são os melhores da NFL. Depois de uma batalha épica com o Pittsburgh Steelers, o Green Bay Packers conquistou o título do Super Bowl XLV com a vitória por 31 a 25, na madrugada desta segunda-feira, no Cowboys Stadium.

Este é o quarto título de Super Bowl para o Packers, que, no total, soma 13 títulos da NFL, recorde absoluto da liga. Além disso, a franquia de Green Bay agora é apenas a segunda equipe a se classificar na sexta posição nos playoffs e, mesmo assim, vencer tudo. Já o Steelers, que ainda é o maior vencedor de Super Bowls, perde apenas pela segunda vez em oito finais.

Como esperado, o MVP (jogador mais valioso) da vitória do Packers foi o quarterback Aaron Rodgers, que lançou para 304 jardas, com três touchdowns e nenhuma interceptação, acabando de vez com o 'fantasma' do quarterback Brett Favre , que era o grande ídolo do time, mas foi deixado de lado justamente para o desenvolvimento de Rodgers, há três temporadas. Medida que se mostrou acertada com o título.

O quarterback do Steelers, Ben Roethlisberger, perdeu a chance de entrar para o seleto grupo de jogadores da posição com três títulos, que conta com Tom Brady (New England Patriots), Troy Aikman (Dallas Cowboys) e Terry Bradshaw (Pittsburgh Steelers).

Favorito por três pontos a vencer o Super Bowl XLV, o Green Bay Packers tratou de tomar o controle do jogo com dois touchdowns, sendo um deles oriundo de uma intercepção de Nick Collins. Já o terceiro, colocando o jogo 21 a 3, ainda no segundo período, parecia que havia terminado de vez cm o Pittsburgh Steelers. Ledo engano. Aos poucos, a franquia mais vencedora da era do Super Bowl diminuiu a vantagem para 21 a 10, colocando pressão sobre Aaron Rodgers.

O quarterback do Green Bay, no entanto, não se assustou. Mesmo sem contar com um jogo corrido eficiente para ter espaços para os arremessos, Rodgers teve calma perante a blitz do Steelers e liderou sua equipe a mais dois touchdowns, deixando o placar em 28 a 17.

O Steelers se recusou a entregar os pontos. Com um passe de 27 jardas para Mike Wallace, Big Ben recolocou sua equipe no jogo. A desvantagem, após a conversão de dois pontos, caiu para um simples field goal: 28 a 25. Mas Rodgers novamente manteve a posse de bola e, com boa variação de jogadas, conseguiu posicionar o Green Bay para uma conversão de field goal.

O 31 a 25 não era garantia de vitória. Pelo contrário. O drive que Big Ben conduziu no Super Bowl XLIII para vencer o Arizona Cardinals ainda ecoava nos 'cabeças-de-queijo'. E, com mais de dois minutos para jogar, a virada parecia possível. O sistema de defesa do Green Bay tinha outra ideia em mente.

Com uma secundária muito forte, o Packers conseguiu anular as jogadas de ataque do Pittsburgh para, enfim, comemorar o título de campeão, o que não acontecia desde a temporada 96/97. E o troféu Vince Lombardi volta novamente para casa.

Notas:

A cantora Christina Aguilera errou a letra do hino dos Estados Unidos antes do começo do Super Bowl XLV 

O ex-guitarrista do Guns N' Roses, Slash, fez uma participação especial no intervalo, na apresentação do grupo Black Eyed Peas 

Os comerciais desta edição do Super Bowl foram, em sua suma, teasers de vários filmes que serão lançados nesta temporada, como Capitão América - O primeiro Vingador, Transformers 3 e Thor 

O ex-presidente George W. Bush, e os atores Michael Douglas, Catherine Zeta-Jones, Jamie Foxx, Demi Moore, Ashton Kutcher e Harrison Ford assistiram o Super Bowl no Cowboys Stadium.

Comente: