Nikolai Andrianov, mito da ginástica, morre aos 58 anos na Rússia





Nikolai Andrianov, o ginasta homem que recebeu o maior número de medalhas olímpicas de todos os tempos, morreu aos 58 anos nesta segunda-feira (21) após uma doença prolongada. 

Andrianov sofria de uma desordem neurológica degenerativa, a atrofia sistêmica múltipla, e não conseguia falar nem mover seus braços ou pernas. Ele morreu em sua cidade natal, Vladimir, deixando sua mulher, a duas vezes campeã olímpica de ginástica, Lyubov Burda, e dois filhos, Vladimir e Sergei.

Alexander Alexandrov, treinador da equipe nacional de ginástica olímpica russa, lamentou a perda de um vitorioso ex-atleta. 

- Recebemos a notícia trágica de que Nikolai faleceu esta tarde. Ele estava doente havia muito tempo. 

O ginasta se tornou o recordista do maior número de medalhas olímpicas entre atletas homens, com 15 medalhas, sete das quais de ouro, e o manteve até ser superado pelo nadador norte-americano Michael Phelps nos Jogos de Pequim de 2008. 

Ele é o terceiro na lista de atletas a ter o maior número de medalhas olímpicas, perdendo apenas para a também ginasta Larisa Latynina, com 18 conquistas, e Phelps, com 16. 

O russo conquistou quatro medalhas de ouro, incluindo o cobiçado título do concurso geral, duas de prata e uma de bronze nas Olimpíadas de Montreal, em 1976, e quatro anos mais tarde, em Moscou, recebeu mais duas medalhas de ouro, duas de prata e uma de bronze. Também recebeu uma medalha de ouro, uma de prata e uma de bronze nos Jogos de Munique, em 1972. 

Adrianov aposentou-se pouco após as Olimpíadas de Munique e em 2001 foi incluído no Hall da Fama da Federação Internacional de Ginástica.


Comente: