História do Futebol Feminino




O futebol feminino nasceu em 1920 na Inglaterra, no Brasil tivemos o primeiro jogo em 1921 entre Catarinenses e Tremembeenses. A partida foi anunciada no jornal A Gazeta como atração curiosa das festividades de São João. Pouco tempo depois o futebol feminino chegou a ser exibido em circos, como atrações de curiosidades.

O Conselho Nacional de Desportos, em 1964 delibera que as entidades desportivas devem seguir a seguinte norma em relação a prática esportiva das mulheres: "Não é permitida a prática de lutas de qualquer natureza, futebol, futebol de salão, futebol de praia, pólo, halterofilismo e beisebol". Naquela época as mulheres já gostavam de futebol e queriam montar equipes como os homens, mas eram proibidas porque diziam que as mulheres não podiam levar uma bolada na região abdominal, pois isso poderia levar a mulher não engravidar.

Em 1981 aconteceu a legalização do futebol feminino pelo Conselho Nacional de Desportos, mas as mulheres foram impedidas, no entanto, de se profissionalizarem. O crescimento tem sido constante. Hoje as mulheres representam cerca de 10% dos futebolistas no mundo, totalizando 26 milhões. No Brasil, já são 80.000 mulheres.

A tão conhecida equipe do Radar nasceu em 1982 e neste ano conquistou o título da Women´s Cup of Spain, derrotando Seleções como: Portugal, França e Espanha. Em 1083 o Radar foi Campeão Carioca e da Taça Brasil. O Radar passou a representar o país em competições Internacionais e de 71 jogos, a equipe carioca venceu 66, empatou 3 e perdeu apenas 2.

O Saad equipe também pioneira no futebol feminino surgiu em 1984 e naquela época essa modalidade era fruto de abnegação e do idealismo de algumas mulheres que queriam lutar contra os preconceitos. Elas achavam que o futebol poderia ser viável e jogavam sem ganhar nada. Às vezes pagavam a própria passagem e faziam rifas para a equipe poder jogar nos fins de semana. O vice presidente do Saad nesta época era o conhecido Romeu de Castro, homem que esta até hoje ajudando esta modalidade e durante muito tempo foi o grande nome do Futebol Feminino.

A CBF convocou "oficialmente" pela primeira vez a Seleção Feminina em 1988. A modalidade se resumia a poucos times do Rio de Janeiro, liderados pelo Radar, que de 18 jogadoras convocadas, cedeu 16 jogadoras para os primeiros jogos da Seleção.

Em 1991 a Seleção Brasileira disputou o Sul Americano em Maringá e classificou-se para o Mundial na China em Junho. O presidente do Radar e chefe da delegação Eurico Lira, tirou do próprio bolso os gastos daquela competição, já que a CBF não liberou verba para cobrir 3,5 milhões de cruzados de gastos previstos para a competição. Na época Eurico chegou a dizer que fez isso porque ou "decretava a morte dessa modalidade ou impulsionava".

Com a 9º classificação no Mundial da China em 1991, A Seleção Brasileira em 1995 conseguiu um patrocínio da Maizena. No Sul Americano que aconteceu em Janeiro deste ano em Uberlândia, 72 mil pessoas apoiaram o Brasil na vitória sobre a Argentina. O Mundial na Suécia aconteceu no mesmo ano e o Brasil repetiu a classificação no Mundial da China.

A vaga para disputar até então as Olimpíadas de Atlanta havia sido perdida, pois a Seleção Brasileira saiu na primeira fase do Mundial da Suécia. A ida da Seleção para Atlanta só foi possível porque a Inglaterra, sexta colocada no Mundial de 1995, não pôde ir.

Aquele grupo que participou das Olimpíadas de Atlanta soube aproveitar a oportunidade, voltaram com um quarto lugar e alavancaram o futebol feminino no Brasil.

No ano seguinte ao retorno da conquista do quarto lugar em Atlanta, a empresa Sport Promotion juntamente com a TV Bandeirantes, foram as primeiras a acreditar e investir no futebol feminino no Brasil. Criaram o 1º Campeonato Paulista, conhecido como Paulistana com transmissões pela TV Bandeirantes e narração do eterno Luciano do Vale. Os jornais Gazeta Esportiva, Lance, Folha de São Paulo, davam semanalmente resultados dos jogos, entrevistas, notícias e tudo sobre o Campeonato do momento e da Seleção Brasileira.

Com todo esse apoio no país, a Seleção Brasileira conquistou o Tri Campeonato Sul Americano realizado em 1998 Buenos Aires e conquistou o 3º lugar do Campeonato Mundial realizado em 1999 nos EUA. Com isso veio à classificação para as Olimpíadas de Sidney em 2000, onde a Seleção repetiu o quarto lugar conquistado na Olimpíada passada.

Hoje ainda não é possível afirmar que as dificuldades daquela época foram vencidas. Isto considerando que a sociedade ainda (mesmo que a ideia esteja começando a mudar) discrimina a mulher que mostra um interesse na prática. Isso acontece por uma questão cultural, a menina quando nasce ganha boneca, e o menino quando nasce ganha bola.

A Seleção Brasileira feminina vem ganhando cada vez mais espaço e prestígio, isso tem atraído bastantes meninas interessadas em praticar a modalidade.

Comente: