Ídolos do Esporte #32 - Maurren Maggi




http://oglobo.globo.com/fotos/2008/08/22/22_MHG_ESP_MAURREN_2208.jpg

Maurren Higa Maggi (São Carlos, 25 de junho de 1976) é uma saltadora brasileira. Tornou-se o maior nome da história do atletismo feminino do Brasil ao ganhar a medalha de ouro na prova de salto em distância dos Jogos Olímpicos de Pequim de 2008, saltando 7,04 m. Foi eleita melhor atleta da década pela revista Sport Life.

Ela é recordista brasileira e sul-americana do salto em distância (7,26 m) e bicampeã pan-americana em Winnipeg 1999 e Rio 2007 na mesma prova. É também recordista sul-americana da prova dos 100 metros com barreiras, com a marca de 12s71, obtida em 2001, e já foi recordista sul-americana do salto triplo, com 14m53, marca obtida em 2003.

Maurren terminou duas vezes o ano como número um do mundo no salto em distância: em 1999 (7,26 m) e em 2003 (7,06 m). Ela chegou a ser a nona melhor atleta da história da modalidade, em 1999, à época do seu salto de 7,26 m.

http://rodolfolucena.folha.blog.uol.com.br/images/Maggi_of.JPG

Pequim 2008

A prova das Olimpíadas de Pequim 2008 marcou também a conquista da segunda medalha de ouro do Brasil nos Jogos. Maggi fez 7,04 m no primeiro dos seis saltos. Foram exatos 22 passos até o salto da atleta no Ninho de Pássaro, o nome como ficou popularmente conhecido o Estádio Nacional de Pequim. Os três primeiros saltos eram classificatórios e eliminaram as quatro últimas das doze finalistas, dentre elas a brasileira Keila Costa, que demonstrou muito nervosismo na prova. Na continuação da prova, Maurren manteve a marca inicial como a melhor, pois queimou os três saltos seguintes. No quinto salto, Maurren fez 6,76 m. A russa Tatiana Lebedeva, campeã olímpica em Atenas e grande rival, parecia tranquila no início da prova. Fazia gestos irreverentes à câmera e mandou uma piscadela abaixo dos óculos escuros. Com o salto de Maurren, a tranquilidade acabou. A atleta queimou muitos saltos e, na última chance, fez 7,03 m, apenas um centímetro a menos que a brasileira.

Maurren saiu para a volta olímpica com a bandeira brasileira e uma pequena bandeira chinesa. No pódio, foram necessários apenas alguns versos do hino nacional para ela chorar de emoção. Maggi dedicou a vitória à filha, que assistiu à mãe do Brasil. "É pela Sofia que eu estou aqui. Tenho certeza de que Deus fez um caminho diferente, mas para dar tudo certo. E a minha preciosidade está em casa para me acompanhar nisso".

Comente: