Por que jogadores escolhem ser goleiros?




http://i0.statig.com.br/bancodeimagens/4l/f7/sh/4lf7shwbw9isq7p74rag1h7kx.jpg
O futebol no Brasil é uma grande paixão nacional, faz parte da vida de homens, mulheres e crianças, é uma forma de interação entre todos independente da classe social, raça ou qualquer outra diferença.

    Nessa interação entre jogadores e torcedores, existe um personagem que destoa por suas características muito distintas em relação ao resto da equipe, capaz de ser amado e odiado ao mesmo tempo, que vai do heroísmo ao fracasso em segundos, o goleiro.

    Diante de figura tão ambivalente, o que motiva atletas adolescentes a optarem pela posição de goleiro? Uma posição que os mesmos consideram como mais isolada e com pouca interação em relação aos demais atletas da equipe. Seriam motivos de aspecto físico, psicológico, influência da família, dos amigos, da mídia...?

    Identificar os aspectos motivacionais para tal opção é de fundamental importância, para que se possa ampliar as possibilidades do trabalho físico e psicológico na formação do goleiro de futebol, respeitando as características e individualidades de cada atleta.

    No próximo capítulo serão apresentadas questões referentes ao goleiro no futebol, seguindo da metodologia abordada, apresentação dos dados com suas dimensões de análise, as discussões e por fim as conclusões, referências e roteiro da entrevista.

2.     O goleiro no futebol

    No ano de 1870 um time de futebol tinha onze jogadores, todos na linha. Para evitar o gol do adversário deixavam um jogador guardando a meta, chamado de "espectador" ou "vigia", que, no entanto, não podia usar as mãos para pegar a bola. No ano seguinte em 1871 surge a figura do guarda-redes (goleiro) que era o único jogador que podia colocar as mãos na bola, devendo ficar próximo ao gol para evitar a entrada da mesma.

    Até a década de 1970 a atenção destinada aos goleiros era mínima, o "arqueiro" era relegado a segundo plano, sendo treinado pelo preparador físico junto com os demais jogadores, pois não existia a figura do preparador de goleiros.

    Com a evolução do futebol a posição de goleiro conquistou mais espaço, ganhando destaque a partir dos anos 80.

    A escolha da posição de goleiro significa assumir responsabilidades e superar inúmeras dificuldades, como por exemplo, os diversos e exaustivos treinamentos, a incompreensão do torcedor diante de uma falha, a necessidade de autodisciplina, o controle emocional e a solidão. Maier (1981) destaca a responsabilidade e a importância do goleiro, visto que sua participação implica diretamente no resultado do jogo.

    Gilmar dos Santos Neves, goleiro da Seleção Brasileira bicampeã mundial em 1958 e 1962, em entrevista disse que:

    "O goleiro vive numa solidão terrível. Ele é um espetáculo à parte, como o primeiro bailarino de uma companhia. De certa forma, ele não tem nada a ver com os outros dez jogadores, que formam um conjunto à parte. Então, tudo o que o goleiro faz ganha destaque multiplicado: quando ele pratica uma boa defesa, que é apenas um dever, pode estar salvando o time. E uma pequena falha pode ser a tragédia". Revista Playboy (1990 apud GUILHERME, 2006, p. 14).

    Para Viana (1995, p. 11) o goleiro deve ser, "rigoroso consigo mesmo, disciplinado em suas ações e atitudes dentro e fora do campo, devendo controlar suas emoções utilizando-as adequadamente, a fim de maximizar o nível de seu desempenho".

    O goleiro no futebol para desempenhar adequadamente suas funções, deverá possuir características físicas, técnicas, táticas e psicológicas distintas dos demais jogadores.

    Exige-se de um goleiro um tal acúmulo de capacidades corporais e psíquicas que só podem ser encontradas em poucos jogadores. A posição do goleiro requer um ensino muito especial e diverso dos demais jogadores e, mais ainda, uma educação e orientação espiritual diferente (CARLESSO, 1981, p. 34).

    Este mesmo autor descreve alguns atributos físicos necessários aos goleiros: Peso proporcional a sua estatura, coordenação e habilidade motora, lateralidade, força, velocidade, flexibilidade, resistência, agilidade, firmeza, reflexo, equilíbrio, golpe de vista, visão.

    Segundo Voser et al. (2006) um jogador de defesa, o goleiro deve ter uma boa estatura, percepção de colocação em relação ao adversário, noção de espaço e tempo na saída do gol, possuir habilidade com os pés e com as mãos e uma boa visão de jogo.

    Para Melo (1997) o goleiro deve ter força explosiva, flexibilidade, equilíbrio, resistência muscular localizada e velocidade de reação.

    Csanádi (apud Viana, 1995) descreve algumas habilidades físicas e psíquicas que considera importantes para a função de goleiro: estatura entre 1.75 a 1.90 m, peso proporcional à altura, força e potência muscular, elasticidade, velocidade de deslocamento, agilidade e resistência geral.

    Quanto às características técnicas, o goleiro deve dominar os fundamentos de sua posição para que possa desempenhá-la com perfeição. No processo do treinamento técnico o goleiro aprende a estrutura básica do movimento, aperfeiçoando os movimentos através de repetições, aumentando-se gradativamente o grau de dificuldades até alcançar a capacidade de auto-correção e desenvolver movimentos seguros e progressivos.

    Segundo Santos (1979), o treinamento técnico é a base de todo o trabalho específico, através dele, o goleiro consegue se desenvolver e se aperfeiçoar. Uma prática bem orientada sempre trará benefícios que se traduzem na correção de defeitos e aperfeiçoamento das habilidades.

    O conhecimento tático do goleiro é peça importante tanto na ação defensiva quanto ofensiva de sua equipe em uma partida de futebol.

    Para Weineck (apud Melo et al., 2007) a instrução técnico-tática deve ser iniciada o mais cedo possível, pois "a idade de aprendizagem motora que coincide com a segunda idade escolar (dos dez anos ao início da puberdade) presta-se particularmente a uma formação técnico-tática polivalente de base e da assimilação de um repertório vasto".

    A preparação psicológica do goleiro de futebol é outro ponto importante para o bom desempenho em uma competição. O goleiro recebe a maior carga de responsabilidade, pois sua atuação em campo pode influenciar a motivação dos demais jogadores e o resultado da partida.

    Csanádi (apud VIANA, 1995) considera a coragem, tranqüilidade, capacidade de reações múltiplas, força de vontade e confiança, como importantes habilidades psíquicas necessárias a um goleiro.

    Segundo Voser et al. (2006), é muito importante que os goleiros tenham como características psicológicas: coragem, concentração, liderança, tranqüilidade e iniciativa.

    Ainda segundo Voser et al. (2006), além de muito treinamento e das qualidades físicas, técnicas e psicológicas, o goleiro deverá apresentar características intrínsecas como dedicação, humildade, vontade de aprender, personalidade, perseverança entre outras, para ter uma boa atuação nesta posição.

    Um goleiro de futebol que consiga reunir todas as características definidas para a sua posição, irá adquirir maior autoconfiança, melhorando seu desempenho nos momentos decisivos de uma competição.

Leia o resto da pesquisa

Publicado em 03/11/11 e revisado em 07/06/17

Comente: