Polo aquático nas Olimpiadas




O Waterpolo é um esporte aquático praticado dentro de uma piscina que mede 20 metros de largura por 30 metros de comprimento, com uma profundidade de 1,80 metros para a categoria masculina. Já na categoria feminina as dimensões são um pouco menores.
As competições são realizadas numa disputa entre duas equipes, cada uma composta por 7 jogadores, que tem como objetivo fazer gol na equipe adversária através de passes com a bola. 

O Waterpolo surgiu na Inglaterra, em meados do século XIX. Ganhou este nome pois inicialmente seus jogadores não nadavam, apenas boiavam em barris, como se estivessem montados a cavalos. Assim eles golpeavam a bola com tacos, sem passes com as mãos, bem parecido com o jogo de polo.

Com o passar do tempo, a prática evoluiu e suas normas foram sendo estabelecidas. A partir de 1908, as regras admitidas para o Waterpolo passaram a ser reguladas pela Federação Internacional de Natação.

O objetivo do jogo, claro, é marcar o maior número de gols possível. Em busca dessa meta, duas equipes de sete jogadores se digladiam em uma piscina durante quatro tempos de sete minutos. Como normalmente os jogadores não conseguem se apoiar no fundo do "campo" - as piscinas têm no mínimo 1,80 metro de profundidade - o esporte exige excelente preparo físico. "O atleta de pólo não precisa ser um exímio nadador, mas deve ter agilidade, pensamento rápido e muito fôlego", afirma o árbitro Decio Patelli, da Federação Aquática Paulista. Apesar de ser jogado em piscinas, o pólo aquático era praticado em lagos e rios quando surgiu na Inglaterra, por volta de 1850. Ao contrário de hoje, os competidores não nadavam, mas ficavam em cima de barris que boiavam, fazendo parecer que os atletas estavam montados em cavalos submersos. Por causa dessa semelhança, o jogo recebeu o nome de water polo, uma referência ao tradicional pólo a cavalo inglês.

No Brasil, o esporte chegou no início do século 20. A primeira partida de que se tem notícia foi disputada em 1908, na praia de Santa Luzia, no Rio de Janeiro. Em São Paulo, um dos campos preferidos era o então límpido rio Tietê. Nas décadas seguintes, os barris foram abandonados e um batalhão de regras foi criado, dando ao esporte sua cara atual. Entre todas as modalidades olímpicas, o pólo aquático é a que tem maior quantidade de regras: ao todo, são 150. É um número bem grande, se lembrarmos que a maioria dos outros esportes tem cerca de 20 regras.

Durante muitos anos, a Inglaterra foi a grande potência da modalidade, mas hoje os criadores do pólo dividem a hegemonia com Hungria, Itália e Iugoslávia. Na América, as três principais forças são as equipes brasileira, norte-americana e argentina.

O Waterpolo faz parte dos esportes olímpicos desde as Olimpíadas de Paris de 1900.


 



Comente: