Treinamento: Princípios básicos





costas05-300x219

1. Individualidade biológica

Cada ser humano é único. A frase pode até soar como um clichê, mas resume com perfeição esse princípio. Trata-se da conjugação de dois fatores que definem a individualidade biológica: o genótipo (o que herdamos de nossos pais) e o fenótipo (aquilo que é adquirido). Cada pessoa deve ter um treino específico de acordo com suas capacidades e características físico, além-claro de um treino voltado ao seu objetivo, não adianta querer copiar o treino de celebridades. Ao montar um programa individual temos que observar o nível de condicionamento físico atual, erros posturais, coordenação motora, objetivo a ser buscado. Ao copiar um treino pode ser que você não esteja fazendo o melhor treino para o seu objetivo, porém acho válido copiar um treino caso você não tenha um professor disponível para montar seu programa.

2. Sobrecarga

Todo treinos precisa de uma variação para que o aluno-atleta possa progredir. Isso deve se dar paulatinamente, com pequenas mudanças, como você verá no dia-a-dia do nosso programa.

3. Adaptação

O corpo precisa de um tempo para assimilar cada novo estímulo ou sobrecarga que recebe para que haja recuperação para novos esforços.

4. Progressividade

Um princípio complementa o outro. Toda adaptação depende de uma sobrecarga, tanto de volume como de intensidade para que o aluno-atleta evolua constantemente na direção do seu objetivo final.

5. Especificidade

Você só vai conseguir obter uma boa performance, se treinar de fato os valores importantes do esporte escolhido. Outras atividades podem ajudá-lo secundariamente.

6. Reversibilidade

O corpo tem uma memória muito curta, basta ficar alguns dias sem treinar que o seu condicionamento decresce. É por isso que os técnicos solicitam que você seja muito freqüente nos treinos – fator preponderante para que obtenha uma evolução duradoura.

7. Variabilidade

Para evoluir é preciso variar os treinos, envolver vários músculos e vivenciar novos ritmos. Isto faz com que o aluno-atleta tenha um condicionamento técnico e fisiológico totalizado.

Referências:

Guedes, Dilmar P.; Souza Jr, Tácito P.; Rocha, Alexandre C. – Treinamento Personalizado em Musculação. Phorte Editora, São Paulo, 2008.

Monteiro, Artur Guerrini – Treinamento personalizado: uma abordagem didático-pedagógica. Phorte Editora, São Paulo, 2002.

- See more at: http://tecnologiadotenis.com.br/treinos/treinamento-principios-basicos/#sthash.THgtVZiR.dpuf



Comente: