Golfe e Rugby serão os novos esportes olímpicos em 2016





O Rio de Janeiro talvez seja a grande novidade das Olimpíadas de 2016. Pela primeira vez os jogos serão disputados na América do Sul, mas as belezas naturais da Cidade Maravilhosa devem dividir a atenção com duas modalidades esportivas em especial, o golfe e o rugby, que foram incluídos no programa olímpico de 2016. A inclusão destes dois esportes foi aprovada pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) em outubro. Como o COI decidiu manter os 26 esportes da competição de 2012 (não houve nenhuma exclusão), a edição carioca das Olimpíadas terá 28 modalidades.

Esta não é a primeira vez que as duas modalidades irão fazer parte de uma Olimpíada. O golfe foi disputado duas vezes em Jogos olímpicos: em 1900, em Paris, e em 1904, em Saint Louis. Já o rugby foi disputado entre 1900 e 1924. Com histórico olímpico, mas pouco praticadas no país, estas modalidades não são muito populares por aqui. Nada que não possa ser revertido até 2016! Para começar, que tal entender um pouco mais sobre cada uma delas? Confira as informações básicas sobre estes dois novos esportes olímpicos!

Golfe

O esporte consiste em arremessar com um taco uma bolinha e colocá-la em buracos espalhados em um percurso. No campo de golfe, geralmente o trajeto até o buraco tem obstáculos como lagos, areia e árvores. Vence quem colocar a bolinha nos buracos com o menor número de tacadas possível. Afastado dos Jogos desde 1904, o golfe conta com a força de Tiger Woods, o atleta mais bem pago do planeta.

Nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro ele será disputado de uma forma chamada "stroke play" (contagem de tacadas) em 72 buracos, sendo 18 buracos por dia. A competição provavelmente vai durar quatro dias, com chaves de 60 homens e 60 mulheres. Terão vaga na Olimpíada os 15 primeiros colocados nos rankings mundiais masculino e feminino, independentemente da nacionalidade. O restante será preenchido pelos melhores colocados nos rankings, com o limite de dois jogadores por país. A nação que tiver mais de dois jogadores entre os 15 primeiros pode exceder esse limite. Como o Brasil será sede em 2016, terá vaga no golfe.

Do ponto de vista econômico, o golfe já é um dos esportes mais atrativos no país. Movimenta R$ 400 milhões por ano, atrai turistas aos grandes resorts e tem sido bastante requisitado no ambiente corporativo. Com a inclusão nas Olimpíadas, a Confederação Brasileira de Golfe espera um aumento expressivo na exposição de mídia da modalidade, favorecendo novos acordos comerciais e ajudando a popularizar o esporte pelo Brasil.

Rugby


O rugby aprovado para fazer parte dos Jogos Olímpicos é o chamado Rugby Sevens (rugby de sete), em que cada time tem sete integrantes. A partida é dividida em dois tempos de sete minutos cada. O objetivo é fazer um número maior de pontos do que o adversário. Com elementos parecidos ao futebol americano, o time de rugby marca pontos quando consegue um "try" (5 pontos - quando um jogador apoia a bola com uma das mãos na área de pontuação do time adversário), uma conversão (2 pontos – chute para a bola passar entre os postes após o "try"), um "drop goal" (3 pontos – chute durante a partida para a bola passar entre os postes), ou uma cobrança de penalidade (3 pontos – após uma falta, o time pode tentar um chute para a bola passar entre os postes).

No rugby só é possível passar a bola para o lado ou para trás, e os avanços no campo acontecem quando os atletas correm carregando a bola. Só é possível passes para frente chutando a bola, e apenas o chutador e os jogadores que estiverem em linha ou atrás dele podem correr atrás da bola. Essa modalidade de rugby foi escolhida para os Jogos principalmente pelo seu dinamismo e curto tempo de competição. A disputa do "sevens" nas Olimpíadas do Rio de Janeiro está inicialmente planejada para durar três dias.

A Copa do Mundo de Rugby é o terceiro maior evento esportivo do planeta, atrás apenas da Copa do Mundo de futebol e das próprias Olimpíadas. No Brasil, apesar de ser praticado em 21 estados, conta com apelo popular ainda menor que o do golfe. De acordo com o último censo divulgado pela Associação Brasileira de Rugby, a modalidade soma 4.763 praticantes, contra quase 25 mil do golfe. Os trunfos do esporte são os custos de equipamento e acessórios – mais baixos que os de um golfista –, a disponibilidade de espaço – um campo de futebol já serve como base de treinamento – e a alta popularidade do esporte pelo mundo.



Comente: